O Planejamento Tributário pode salvar o seu négocio

O planejamento tributário pode ser um antídoto para os empresários donos de clinicas médicas, farmacias,  autopeças, mercadinhos e etc contra a má gestão contábil e ainda se tornar fonte de receita.

Muito além da simples emissão de guias e cálculos contábeis, o planejamento tributario vem estimulando pequenas e médias empresas a aumentar em até 23% o faturamento médio anual e economizar até 40% mensal em impostos, se tornando mais competitivos no mercado e ampliando a vantagem em relação a concorrencia tendo mais chances de crescimento e expansões.

impostos

“Infelizmente, muitos empreendedores ainda associam o planejamento e recuperação tributária, a uma prática ilegal devido a outras “consultorias tributárias” terem sido desmacaradas pela Receita Federal. Mas a recuperação tributaria pode ser determinante não só para evitar riscos como sonegação ou impostos pagos a maior, como também maximizar recursos e pode até salvar um négocio da falência. Quanto as fraudes que foram descobertas recentemente, na minha visão só fortalece as empresas que fazem um trabalho serio igual ao nosso e que tem responsabilidade social com seus clientes, trabalhando dentro da lei e buscando as melhores soluções e estrategias de economia e gestão financeira”, enfatiza o CEO da MC Associados, Mauro Campos.

Um levantamento feito pela Farmacon ajuda a ilustrar as profundas lacunas na gestão financeira dos empresarios brasileiros. Mais de 67% dos empresarios estão enquadrados em um regime fiscal inadequado. “Isso as vezes aumenta em mais de 40% a carga tributária e impede o acesso a créditos. Muitas vezes atendemos clientes que não conseguem fazer o pagamento dos impostos porque os mesmos acabam levando toda margem de lucro da empresa, fazendo acumular dividas e se tornando em muitos casos uma situação insustentavél”, explica Jaciara Silva responsavél do departamento comercial da MC Associados.

Alguns benefícios fiscais acessíveis através do planejamento tributário

A maioria das empresas não sabem, mas produtos vencidos, que sofreram avaria ou foram alvos de furto podem significar acesso a créditos. Isso é possível porque o setor de medicamentos e autopeças tem um grupo elevado de produtos sujeitos à substituição tributária, ou seja, o imposto já foi recolhido na fonte antes de a venda se concretizar.

“Quando não ocorre a venda em função desses fatores, a empresa já pagou um imposto sem que tenha obtido receita. Por conta disso, ela pode emitir uma nota de perda para se aproveitar desses créditos”, reforça o CEO Mauro Campos.

Há também o pagamento do ICMS dentro da guia de PIS/Cofins, que é calculado sobre a mercadoria. Uma parte do crédito é calculada sobre o valor de compra. Já o débito é contabilizado sobre o valor de venda. Na hora de se chegar ao valor dos impostos, é preciso retirar o ICMS para não configurar bitributação.

“Nesse caso, corrigimos a bitributação do ICMS e recuperamos o imposto pago em duplicidade nos últimos cinco anos e abatemos nas próximas guias. E no caso do PIS e COFINS se a empresa não tiver debitos conseguimos que o dinheiro seja devolvido na conta juridica da empresa em até 60 dias”, acrescenta Pollyana Emilia chefe do departamento fiscal da MC Associados.

Para os médicos podemos levantar a questão da determinação do prolabore para reduzir a carga tributaria de 16% para 6% para aqueles que estão no simples nacional, existe também a possibilidade da redução da base de calculos do IRPJ e CSLL para clinicas do lucro presumido, reduzindo a carga tributaria de 32% para 8%. Em ambos os casos é necessario fazer uma analise de qual é o melhor regime tributario para a empresa de acordo com o seu faturamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *