Novidades no Imposto de Renda Pessoa Fisica 2023

Atualizações do IRPF 2023

Faltando pouco menos de um mês para o inicio das declarações do imposto de renda 2023 o governo anunciou algumas atualizações interessantes para o contribuinte que vamos discriminar a seguir:

Listamos sobre os grupos que necessitam entregar a declaração ao órgão:

  • Pessoas que realizaram atividades rurais e obtiveram lucro acima de R$ 142.000;
  • Residentes no Brasil;
  • Acionista da Bolsa de Valores;
  • Pessoas com rendimento tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Rendimentos isentos com valor superior a R$ 40.000;
  • Pessoas que realizaram transações comerciais no valor acima de R$ 300.000.

Imposto de renda 2023Segundo a Receita Federal, o período de entrega para as declarações de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) ocorrerá entre 15 de março a 31 de maio.

O valor de isenção agora será de exatamente R$ 2.640,00. Com a confirmação do presidente eleito, a Receita Federal irá elevar a faixa de isenção de R$ 1.903,98 para R$ 2.112 e será aplicada a dedução automática de R$ 528 sobre o imposto que deveria ser pago. Gerando a isenção para quem ganha até R$ 2.640 por mês (equivalente a 2 salários mínimos a partir de maio deste ano).

O desconto simplificado será opcional e se o contribuinte gerar um desconto maior por deduções como dependentes e gastos com saúde, o valor pode ser substituído.

Não há, até o momentoimposto de renda 2023, qualquer indício de que haja uma nova tabela do Imposto de Renda 2023 Vale lembrar que toda tabela do imposto de renda deve ser atualizada nos próximos anos, pois está defasada em 134% por não ser atualizada desde 2015.

Caso a mesma estivesse sendo atualizada pela inflação em todos os anos, a faixa de isenção seria de R$ 4.427,60 — quase o dobro do valor da isenção atual — o que aponta uma defasagem de 134,5%. Os dados são de um levantamento do Sindifisco Nacional (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil).

Com a defasagem, os mais atingidos são os que ganham menos, pois para os contribuintes com rendimento de R$ 6.000,00, por exemplo, a não correção da tabela impõe um recolhimento mensal “extra” de R$ 662,71, um valor 561,95% maior do que seria se a tabela fosse corrigida pelo IPCA.

Já para um contribuinte com renda mensal tributável de R$ 10.000,00, o recolhimento é 145,99% maior do que seria se a tabela fosse corrigida.

Deduções defasadas

A defasagem vai além da Tabela de Imposto de Renda e atinge, também, valores de deduções permitidos por lei. Se os valores fossem corrigidos pela inflação acumulada do IPCA, de 1996 a 2021, seriam muito diferentes.

Os descontos por dependente, por exemplo, que estão em R$ 189,59 por mês (R$ 2.275,08 ao ano), subiria para R$ 444,66 ao mês (ou R$ 5.335,92 ao ano).

Enquanto os gastos com educação podem ser deduzidos hoje, seriam corrigidos de R$ 3.561,50 para R$ 8.353,12.

Promessas de campanha

Durante sua campanha, em 2018, o ex presidente Jair Bolsonaro (PL) prometeu corrigir a faixa de isenção para cinco salários mínimos, o que faria com que todas as pessoas com salário igual ou inferior a R$ 6.060,00 (5x R$ 1.212,00) ficassem isentas de pagamento de imposto de renda.

O presidente eleito, Luiz Inacio Lula da Silva, prometeu em campanha, em 2022, a isenção do imposto de renda para todos que ganham até 5 mil por mês.

Porem, iniciou de forma escalada a isenção em dois salários minimos, tranquilizando as pessoas que achavam que pagariam imposto de renda se ganhasse 1,5 do salário mínimo, o que estava sendo muito criticado pela oposição. Com informações do Valor Investe

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *